O CANTINHO FUTSAL

Futsalquinta é o Blog dos Futsalistas de Ançã onde o jogo da tua equipa pode virar notícia e ser debatido por todos. Aqui tu podes comentar os principais resultados dos jogos futsal que são disputados no Pavilhão de Ançã, e a actuação do teu Team.

Nós da Equipe Blog-Futsalista iremos pensar e escrever artigos, comentar e mediar debates sobre as principais noticias do nosso Futebol . Nada disto fará sentido sem a tua participação e os teus comentários, portanto, marca + golos, envia notícias para o nosso blog e faz as tuas jornadas da quinta-feira virarem notícia.

Tabela Classificativa --/01/2015

Posição

Equipa

P

J

V

E

D

G.M

G.S

Tendência

1

PRETOS

"Morcegos"


3


1


1



10

6

Positiva

2

VERDES

"Cobras"


0

1




1

6

10

Negativa

sexta-feira, 22 de maio de 2015

PONTO DA SITUAÇÃO DAS JORNADAS E ACTIVIDADES

Reações jogo: 
No âmbito das Jornadas do Campeonato inter-ançãnenses 2015 teve lugar, no passado dia 21 de Maio, um jogo bem disputado entre 2 Teams que resultou de mais um empate 1X1. 
Pretos seguem com vantagem de 6 vitorias e 3 empates contra Coletes : 5 vitorias e 3 empates.

Nesta passada jornada foi ainda discutido em casa do capitão-João das diversas actividades de fim de ano lectivo.  Um ponto da situação em que se deu a conhecer o plano de actividades relativo a Junho e Julho de 2015. A descida do Rio 2015, prevista para domingo dia 12 de Julho espera agora inscrições para conseguirmos pelo menos 20 aderentes. Em duvida ficou Luis, Chico, João, Quim sem ainda resposta de Flavio, Zé Gde e Ruizinho. De fora, fica André e Gabi definitivamente. 

Na sessão decorrente, Luis apresentou próximo restaurante para jantar Futsalquintistas que irá realizar-se em Coimbra, no dia 5 de Junho. 

 

quinta-feira, 14 de maio de 2015

O PIONEIRO - DESCIDA DO MONDEGO domingo 12 de Julho 2015

Reações jogo: 
QUEM SÃO?

O Pioneiro do Mondego é uma empresa familiar de desporto de aventura e ecoturismo sedeada no concelho de Penacova. A  principal atividade são as descidas em kayak e canoa no rio mondego, entre Penacova e Coimbra - que organizam diariamente, desde 1988!





2 / 3

 PORQUÊ ESTA ESCOLHA?

Tem uma inigualável variedade de escolha de material; caiaques duplos e individuais, desde os tipos mais clássicos e estáveis sit-inside aos mais recentes sit-on-top kayaks do rio. A  equipa é composta por jovens guias locais com anos de experiência que conhecem o rio como ninguém e são poliglotas.  Tem instalações e parques de estacionamento privados, evitando a confusão dos fins-de-semanas de verão. Por fim, o  sistema de monitorização e segurança privilegia a liberdade dos clientes; assim cada um deve poder fazer a descida ao seu próprio ritmo, sem ser obrigado a permanecer numa excursão de grupo.Isto tudo a preços competitivos!

PROGRAMA:
Domingo 12 Julho 2015, descida do rio
Grupo superior a 20 pessoas = 18 € com preços especiais para estudantes e crianças
lanche-ajantarado em Ançã no Ruizinho (ementa - buffet - grelhadas - sobremesas - bebidas)

http://www.opioneirodomondego.com/?gclid=CPz7h5nxwMUCFczHtAodaCQA8w#!precos/crp4

Começamos as inscrições que podem ser divulgadas no Blog ou facebook Futsalquintas

sexta-feira, 8 de maio de 2015

A INTENSIDADE TACTICA PAGOU 5 x 3 A FAVOR DOS PRETOS

Reações jogo: 
Com o aproximar de uma jornada renhida, vão-se descobrindo novas tácticas. Ontem, depois da nova conquista dos Pretos pela fórmula-encaixe que mudou a face vencedora do melhor futebol de Ançã (dando-lhe mais versatilidade em termos de sistemas), nos "Coletes" assiste-se a uma mudança de ciclo.

Após quatro jornadas passadas, surge o remodelado Preto a resgatar pontos que lhe fugia.
Por isso, o distanciamento das ideias de jogo entre Pretos e Coletes são interessantes de analisar. Montam, como é tendência , o 3x4x1 sem extremos, mas nota-se nesta nova formula Preta uma tentativa mais sólida de tentar atacar a dimensão do campo de forma mais racional, algo que os Coletes  não conseguiu neste ciclo de jogos .
 
O actual 8  espelha a tradicional aposta de um ataque organizado. De todo o 8 base, só dois jogador não ultrapassa os 30 anos. É o Nando (com 29) de Parabéns ontem. Respeitando quase o seu lado mais adulto de jogo, dêmos-lhe o controlo do corredor central. Desta forma, tenta compensar a falta que ainda se fazia sentir dum dos melhores nº5 Pretos  (João-capitão, que foi para a procura de mais estímulos, ainda.. :) .).
Na primeira parte os Coletes pegaram em muito no jogo,  que são os ensinamentos de quem joga a bola e não adormece quando toca o sino da igreja.  No seu modelo, desrespeita um pouco as bases da tradicional escola  ao não incutir uma dogmática “cultura de posse e circulação” (quando foi defrontar os Pretos levava uma percentagem média de 36% de posse em todos os jogos do nosso campeonato). Para este efeito, Pretos sofreram rapidamente o primeiro golo após uma saída "ar-riscada" do Quim e pouco tempo depois, num livre Ricardo cabeceia com toda a vontade para fazer o 2 X0.
O futebol dos Pretos, acordado mais tarde pela electrocussão  é mais multi-versátil no sentido da “verticalidade do horizonte em 3 D de jogo”, dando a sensação de ser uma equipa que se sente mais confortável a aproveitar a posse de bola, com mudanças de velocidade dos alas.
Meteu-se João-capitão a central, que levando a bola como um avançado técnico-esguio na frente  deu o primeiro golo aos Pretos. Nova profundidade (e confiança) no meio-campo a uma dupla de interiores que joga muito: a bola que parecia estar a cair numa intensidade de jogo mais alta  deu um novo impulso de mudança de velocidade através Maleiro que entrou para dentro e aponto o 2ºgolo. Ao futebol de ambas as equipas, entre os quais se espera sobretudo o crescimento de Maleiro, 21 anos, um miúdo com toque de bola e visão de jogo ainda frágil podia ter oferecido um golo se tivesse levantado a cabeça.

“INTENSIDADE TÁCTICA INDIVIDUAL AO SERVIÇO DO COLETIVO”
 
O talento mas sobretudo a paciência mas ainda FUNDAMENTALMENTE  a COMUNICAÇÃO, essA, apareceu, e notou-se nos jogadores melhor mobilidade. Cresceu-se no jogo com a “cabeça solta”, gostando de ter a bola, procurando-a e não se limitando a esperar por ela. Num novo cenário de “agressividade táctica”, os Pretos chegaram ao empate 3X3 e meteram mais velocidade de processos nos espaços. Foi uma questão de “intensidade táctica colectiva” que, depois, tem “transfer” para algo de individual ao serviço do grupo.
Os Pretos tiveram mais essa vocação, no estilo de jogo, do que os "Coletes". Não esteve em causa a qualidade de jogo, esteve em causa a competitividade desse jogo que se tornou a um ritmo desejado com um hardware funcional PRETO.
Os ensinamento de jogar com 8 elementos mais 3 no banco já não passou da mesma forma nessa missão porque ontem as bases de crescimento dos jogadores foram outras... A gestão foi otimizada  Por isso, o papel desta gestão que cresceu e da maturidade de Pedro, por exempolo, com vontade de dar o seu contributo a equipa, deixou com fair-play o seu lugar pouco aquecido. Ele como recém jogador torna-se um elemento importante, sem mexer no seu estilo, mexe nas mentalidades menos desenvolvidas. Zé Manel, homem (bom) dos S.O.S foi também um elemento que se aproximou do futsalquinta mas que (in)felizmente tem apenas esse papel, por enquanto.

Os Pretos definiram onde o deviam fazer. Jogar sem recuar e pensar o jogo. Maleiro marcou, E decresceu na partida mas aliviou com os seus piques.  Na ultima linha do acontecimento do jogo (59'), um alivio de bola e de resultado marcou a depressão dos Coletes através de um corte malventuroso de Ricardo que acabaria de cortar uma linha de passe. De guardião-jogador para seu próprio guardião foi o contra-pé ideal para dar vantagem aos Pretos. Poucos minutos passavam da hora quando ainda Ricardo foi um dos protagonistas do 5º golo: de uma bola bombeada pelo o ar no meio campo Preto, J.Guilherme conseguiu elevar-se como uma águia para  cabeceamento, de uma bola que sobrevoou  André, Nando e Ricardo em ultima posição, qando J.G, num arranque poderoso/explosivo ultrapassou todos os protagonistas da jogada,... quase derrubado por Ricardo que nada consegui fazer. Uma ação quase individual que ainda tabelou no Maleiro e desta vez, inteligentemente,  devolveu a J.Guilherme para sentenciar o jogo final desta jornada.
 
No final, regamos a vitoria com um excelente momento proporcionado por nosso amigo Nando. PARABÉNS
 
PARABÉNS NANDO - 29 ANOS

 

segunda-feira, 4 de maio de 2015

PENSAR O JOGO : marcamos em 2 dias 7 golos e sofremos 6 .RESULTADO POSITIVO

Reações jogo: 
Dizem as mentes que não existem jogos iguais mas durante uma semana acreditamos que podiam existir jogos parecidos. O choque e danos que sofrera os Coletes colocava dúvidas sobre em que estado estaria mesmo o grupo de Jason. Pareciam tocados nas suas bases e destabilizados pelo próprio Jason. Ao mesmo tempo, a exibição dos Pretos (desde a pressão sobre a primeira zona de construção até uma grande segunda parte de controlo táctico e ritmos) levara a equipa ás nuvens com um expressivo resultado 6X2. 
 
Nesta passada jornada o debate sobre fazer pressão alta ou baixar e esticar mais o jogo teve hipótese de começar muito bem. A equipa Preta, pura e simplesmente, conseguiu pressionar ou fazer os indispensáveis “encurtamentos” (reduzir tempo e espaço de execução ao jogador adversário com a bola) paralisando-os junto a área. SeguiU naturalmente 4 golos sem muitas respostas. Equipa constituída com Miguel, Quim, Chico, J.Guilherme, André (recuperar da lesão), João, Filipe (novato com nota positiva) e Zé Manel (com uma visão unilateral) . Gabi no banco em recuperação (jogou 7').

Mas, apesar de se ver que a estratégia era esperar mais atrás (deixando cair a pressão mais alta e dar logo espaços nas costas do meio-campo) esse debate nem fez sentido lançar tal o 8 Preto e ficou sem reação ao passar da ilusão para a realidade. Uma defesa Preta que ficou pressionada  (face aos laterais e  inexperiente - Zé Manel - Gabi lesionado que mesmo assim arriscou demasiado entrou e saiu) foi um primeiro passo para meter a equipa num casulo atrás sem poder sair. O medo misturado com o cansaço colectivo entrou no corpo dos jogadores e quando isso sucedeu a tendência foi recuar, recuar.... e sofrer 1, 2, 3 e 4 golos.
 
Entre os dois jogos, várias imagens: no primeiro uma equipa de "Coletes", André e Jason extenuados, suado  e abanando a cabeça (Coletes estavam a ser surpreendidos e impotentes para a estratégia e ritmo Preto); no segundo, falamos dos Pretos, já na segunda parte, quando junto à berma do relvado, só aleijados sem subtituição gritavam e gesticulavam instruções para dentro do campo, indicando-nos a verticalidade pelo corredor (os Coletes a espreita, fugiram à pressão inicial fazendo entrar Nuno com bem mais frescura,  furando em “jogo exterior”   erguendo no meio-campo). Nesse momento, ficou visível a ideia estratégica dos Coletes aplicado ao modelo ofensivo imposto por Nuno. Depois, de sofrerem 4 golos, Nuno (por dentro) e Jason a frente, pareciam isolados mesmo quando rodeados por quatro jogadores Pretos dentro da área Preta.
 
Buscar mais explicações táticas para esta queda do paraíso não faz sentido. Nada do que aconteceu na Quinta feira foi por culpa dos Pretos, o jogo foi sempre o que os Coletes quiseram quando entrou o Nuno, sem substituições Pretas existentes. Faltou-nos o Maleiro por exemplo. O “manual das goleadas” a este nível tem sempre um guião táctico-emocional tipo e o tempo prolongou-se mais 15 minutos com grande desgaste escuro. Ainda assim, J.Guilherme sofreu nos ares de uma falta flagrante quando ia cabecear sozinho para a baliza quando Jason empurrou-o, desequilibrou e chocou violentamente em queda livre. E ainda, João-capitão teve a bola do jogo, isolado na pequena área, guardião deitado, a rematar incrivelmente a trava. ACABOU 4X4
O empate foi justo ?? Pretos mereciam melhor ao longo da partida mas afinal os Coletes tiveram as suas oportunidades também falhadas.
Coletes sempre com uma vitoria a mais do que nós. Temos agora a tarefa de inverter os resultados!!
 
 PENSAR O JOGO “AOS COPOS”
 
O PRETOS no torneio de Vila Verde terão começado a perder oportunidades pelo excesso de confiança e/ou de copos que rodeou a equipa nesta 6ª feira passada e acabou no pavillhão Verdiano pelo medo que sentiu quando viu que, afinal, o S. Joanense estava vivo e puro. Do que se pude pressentir, viu-se o receio que Ançã teve das bolas  e duelos mais físicos na área, inventando assim Zé Manel a lateral no lugar da habitual alternativa J.Guilherme (de dor no rabo), com menos saída de bola, e menos visão / ocular. A equipa não se preparou para viver a maior parte do tempo sem bola mas chegava rapidamente a baliza com André (exaltado ainda pelo bom almoço Ançãnense e assistência feminina). Só para tentar sobreviver porque nunca se vislumbrou um subprincípio treinado de saída dessa pressão ofensiva por vezes S.Joanense (com recuperação de bola mas circulação lenta em triangulações). Quim esteve em grande na 1ª parte, sóbrio e concentrado .
Para os Pretos, evitar que o risco do choque emocional e desgaste físico não se sentisse na Luz Verde, foi o grande desafio entrar Maleiro e Rui-Bonga (bêbado) associados a 2 veteranos João (champanha e taças ) e J.Guilherme. Jogos de “orgulho” nunca são os mais indicados para planos tácticos mais complexos (ou diferentes do habitual). O indicado é não voltar a falar deste quinteto, afastar esse cenário da cabeça e voltar às bases mais simples do seu modelo. Nos ultimos 5 minutos entraram Zé Manel e André para terminarmos a partida com 3X2 e um 3º lugar merecido.
Para os curiosos, evitamos jogar contra os Veteranos que deram 11X1 na final :(
3º lugar no torneio de Vila Verde
No final, o torneio fechou com o habitual jantar de cariz associativo por 10€ por pessoa. Um projeto orgulhoso montado por uma aldeia que criou uma IPSS em pró de uma ajuda da comunidade em risco. Jantamos muito bem e deixamos muitas amizades.... Para o ano??... O Pimenta conta sempre connosco !!!...

Fica no "entretanto" um projeto de convívio em Ançã ou em Vila Verde (a 6ª) para uma boa futebolada... e mais ainda. Devemos colocar isto na nossa Agenda !!!... para o Verão.