O CANTINHO FUTSAL

Futsalquinta é o Blog dos Futsalistas de Ançã onde o jogo da tua equipa pode virar notícia e ser debatido por todos. Aqui tu podes comentar os principais resultados dos jogos futsal que são disputados no Pavilhão de Ançã, e a actuação do teu Team.

Nós da Equipe Blog-Futsalista iremos pensar e escrever artigos, comentar e mediar debates sobre as principais noticias do nosso Futebol . Nada disto fará sentido sem a tua participação e os teus comentários, portanto, marca + golos, envia notícias para o nosso blog e faz as tuas jornadas da quinta-feira virarem notícia.

Tabela Classificativa --/01/2015

Posição

Equipa

P

J

V

E

D

G.M

G.S

Tendência

1

PRETOS

"Morcegos"


3


1


1



10

6

Positiva

2

VERDES

"Cobras"


0

1




1

6

10

Negativa

sexta-feira, 24 de abril de 2015

A comunicação dos Pretos fez diferença na goleada 6 X 2 contra Coletes desorientados

Reações jogo: 
Ver uma equipa a crescer no decorrer da 10ª jornada, após um inicio apocalíptico, nem sempre traduziu uma evolução. Por vezes, tratou-se, apenas, duma espécie de “simplificação de processos”. Os Pretos é um desses melhores exemplos.
A complexidade táctica dos Pretos e dos jogadores (com sistemas de defesas a “2” ou "3" e permanentes mudanças de posicionamentos) confundiu a transmissão/solidificação duma ideia de jogo, algo indispensável como prioridade de um Team que se quer adaptar ao futebol de 7 ou de 8. Ver a equipa hoje é ver os quase mesmos jogadores numa moldura táctica e princípios de jogo mais simples e eficazes mas quando trocamos as voltas é com sentido de COMUNICAÇÃO.

Partindo no papel de uma tactica inicial : guardião Quim, alas laterais Maleiro/Chico - J.Guilherme Pedro, Meios campistas João e Miguel e Filipe (novato) ponta de lança, os elementos-chave para a “nova ordem de jogo” são a capacidade de comunicação que beijou este Team. João que cada vez mais quiz sair da sua posição de conforto (central) assumindo-se como capitão  e organizador ofensivo no centro da segunda linha que rapidamente encontrou uma ala direita aberta em troca de posicionamento. Pedro com pouca posse de bola inicial, acusou o ritmo de uma ala defensiva, querendo dar tempo às trocas posicionais na frente, quer descaindo na meia-direita, permitindo até diagonais sem bola. Outras vezes, Miguel da ala direita esperou pelo momento certo e meteu-se ao serviço  da bola na esquerda, onde Filipe combinava as jogadas. Saindo de trás, Chico em busca de mais sensação sempre num espaço calculado encostava-se por vezes a esquerda, a direita e até no corredor central. E a COMUNICAÇÃO SEMPRE APARECEU EM PRÓ DE UMA CONSTANTE ORGANIZAÇÃO.

Certo, é mais fácil definir os seus movimentos do que a sua posição. Por isso, o sistema também evolui a meio campo com   perfis na saída diferentes. Esta foi a fórmula que goleou os coletes no derby tomando a Essência das Essência : a COMUNICAÇÃO (mais uma vez!!) entre todos os parceiros.
A exploração do futebol dum jogador sendo definido pelos movimentos, após e durante muito tempo ter-a -se debatido qual a sua melhor posição mas sem nunca descobrir o melhor encaixe para ele no 8.
 Porém, a queda de tal táctica também pode acontecer e muito relacionada com essa indefinição, mais do que o sistema em que se joga. Isto, se a equipa não define como quer jogar nos corredores e acaba por ficar refém da sua própria desorganização. Tudo o resto fica diluído.
Mas foi a “ditadura box to box” de Chico, J.Guilherme, João na linha defensiva que amordaçaram o melhor jogo dos Pretos, relegando num plano secundário a construção desde trás, em nome da... condução de jogo de trás para a frente. "Coletes" desorientados e cansados de correr atrás da bola...pouco arriscavam ás saídas irritando Jason impotente de lidar com o seu Team.

Pretos ao marcar em primeiro foram surpreendidos por um golo "sem fazer de propósito"dito pelos  Coletes. Calmamente mas sobretudo pacientemente o jogo tornou-se essencialmente “vertical”. Os "Coletes" perdendo a circulação que procuravam o melhor lado para a bola entrar, algo que a visão e passe de Jason ou André daria. À frente deles, vagueando em busca do melhor local para ter a bola, André ou David por vezes pareciam ter mais a vontade de evitar chocar com os seus colegas de equipa do que com os adversários.
Os Pretos montaram uma equipa que, no inicio, só existia na sua cabeça, mas depois, em campo, os jogadores (seu talento/características) precisaramm de condições para levar a ideia mais além graças a capacidade comunicativa de cada um deles.
INSTRUÇÕES MAIS CONCRETAS
Um dos factores que mais perturba ver numa equipa, é quando se detecta que um dos seus jogadores aparece nervoso, incerto nas marcações zonais e idas às dobras, ficando depois irritados. A sensação é então que toda a equipa fica nervosa e irritada. As falhas atrás tem efeito deflagrado pelo resto do 8.
Nestes casos de crise de jogo (e confiança) os jogadores (sejam defesas ou médios) necessitam do conforto de instruções mais concretas (o que fazer e limitação de espaço) e a equipa dum sistema mais equilibrado (menos de trocas posicionais) para que nenhum jogador se sinta confundido ou desamparado no jogo. "Coletes" afundaram simplesmente!!
 Os Pretos souberam ser pacientes e não alcançar precipitadamente mais golos e/ou oportunidades ,como já aconteceu em 2 jornadas passadas acabando por perder pontos.

 INVENTARIO DOS RESULTADOS DOS JOGOS CONTRA COLETES :
 12/02: P.(PRETOS)5x3C.(COLETES)- VITORIA
19/02: P. 5 X 6 C.
26/02: P. 4 X 2 C. VITORIA
05/03: P. 3 X 2 C. VITORIA
12/03: P. 4 X 5 C.(após ganharmos e termos jogado o infinito até perdermos)
19/03: P, 3 X 4 C. (após ganharmos e termos jogado o infinito até perdermos)
26/03: P. 5 X 5 C. EMPATE
02/04: P....X    C. jogamos ??? quanto ficou ??
09/04: P. 1 X 3 C.
16/04: P. 3 X 3 C. EMPATE
23/04: P. 6 X 2 C. VITORIA

PRETOS: 4 vitorias e 2 empates
COLETES:  4 vitorias e 2 empates

No final, foi bem regado o aniversário do nosso amado guardião Quim. PARABÉNS !!!

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Pretos que embalaram o berço e finalizou por 3 X 3

Reações jogo: 
Um dos melhores jogos... e de bom futebol na passada jornada. Uma sensação nasceu novamente após varias derrotas fez para do grupo de jogadores um 8 de qualidade.  Num campeonato que é, em termos de modelo de jogo, um paraíso para os extremos, foi onde os Pretos encontraram o habitat perfeito para a sua essência de jogo. Dentro de um sistema de jogo mais purista, no sentido de atacar pelos flancos com extremos a trocarem os pés ou melhor as suas posições, joga/corre/finta/inventa sobre a direita, enquanto que na esquerda surge outro velocista, que conseguiram rematar com o pé certo e não aquele mais a mão.
Para além dos laterais tivemos também o excelente pivot defensivo, passada larga a atacar-defender-atacar, e reposicionar foi o Chico sem apoio de um central fixo. O médio organizador em rupturas, ficou em partes bem posicionado e por outros momentos perdido mas com a preocupação da reposição. Depois, pode entrar o extremo promessa Maleiro, mais o Pedro a apoiar.

Apesar do jogo apoiado como modelo, não prescindiu-se de alguns centros altos e, embora com técnica, algo inestético, como referencia para acabar as jogadas. E foi o Jason, de origem Coletista,  com 1,72m,  que caminhou muito bem, entre o nosso central, e depois, moveu-se rapidamente quando a bola chegava-lhe por perto, dentro da área. A equipa não usou, porém, o jogo direto ou aéreo para ele. Pelo contrário, procurou que a bola lhe chegasse sempre rente à relva... e rematar da mesma forma. Nesse papel dualista, o protagonismo esteve na baliza  com  perfeição e noção dos postes, a defender bolas quase imparaveis: Quim. 
Os Pretos temporizaram muito bem com a bola, numa espécie de projeto,   na visão de jogo, recuando para pegar na bola e surgindo depois  para inventar o último passe ou rematar. Juntos, foi a alma tática dos Pretos que embalaram o berço de talentos para um resultado que acabou por 3X3.

Para esta 5ª temos mais sem contar com a presença de André e de Luis.
 

segunda-feira, 13 de abril de 2015

ESCOLHER COMO... PERDER 3x1

Reações jogo: 
  Ultimamente, face ás diferenças de valores entre as 2 equipas, e o condicionamento físico de João-capitão (virilha), Nando (pico de dor), J.Guilherme (contraturas), Luis (pico simplesmente), Gabi (arrancamento ligamentar), Tó Zé (joelheiro), e tudo isto acrescentando uma Champions ao sábado,  uma gestão da equipa nas opções antes do jogo, tem a noção (mesmo escondida no subconsciente) que está sobretudo a escolher a forma como vai... perder por menos, tal a dificuldade da vitória.
Nessas opções, entra o respeitar o modelo (provavelmente repetitivo) e cair a partir da “coragem táctica” ou “vender a alma” à estratégia e perder desrespeitando o seu ADN. Devo dizer, porém, que ao contrário das teses moralistas dominantes, não tenho nada contra “autocarros”. Claro que não me seduzem esteticamente, mas é um “direito táctico” dos mais pequenos. E, se for bem feito, no posicionamento recuado, pode ser também tacticamente interessante de avaliar. Isto, é o que faz os "Coletes" a defender deixando Jason em ponta de lança sozinho com o nosso central. É verdade que o futebol admite todo o tipo de estratégias e ideologias. O fundamental é saber executá-las bem e a equipa ser sempre competitiva. Por mais, Nuno (mais um recém jogador) e que cilclista !!! desequilibrou em contra-ataques rápidos, inclusivamente marcando um golo-chouriço. 
A criatividade não é só uma questão de avançados. Existe, também, a “criatividade defensiva”. É a partir desta base que a “equipa mais pequena” encontra qualidade de vida em campo. Inclusive para... atacar. E daí disputarmos após longos minutos o 1 X 1 para deixarmos de existir nas linhas defensivas.

O nosso futebol obriga sempre a escolher a mesma estratégia e cairmos sempre no mesmo esquema táctico.  Artilheiros laterais como o Chico em posição errada no corredor direito e J.Guilherme inversamente à esquerda... para servirem pontas de lança sem poder de cabeceamento. Isto, deixa apenas o atleta do corredor central ao poder de um remate... mas, até que desloca muitas vezes a bola para as linhas laterais para um centro e/ou entrada na grande área "forçada". A posse bola é evidente, as faixas laterais dominadas pelos Pretos mas falha a finalização em busca de uma passe a 10 e um remate que tenha que entrar a perfeição.  Oportunidades tivemos muitas mas acima da trava do guardião :(
 
Para os Pretos é eleger bem a equipa e a estratégia para cada jogo. Não é uma questão estética mas sim conceptual. A bola e os Pretos devem “viajar” juntos em campo. Nunca será bom sinal se vai a bola mas não vão os jogadores junto. Fácil ? Não é, mas contra ciclistas em contra ataque o meio campo Pretista deixe dificilmente. Falta de um autocarro organizado ???...
 “Antes de mais quero assumir as minhas responsabilidades pela estratégia falhada”. Uma autoanálise negativa publica destas não é comum ver-se. Em geral, fica na intimidade interna. É impossível, porem, fugir do visto em campo.
Uma Selfie "Angêlica"
 
Já a 3ª parte foi mais jovial, em casa do nosso amigo Chico que soube apresentar uma mesa à medida ... de uma amizade forte e cheia de anedotas.
 
Que o mesmo se repita para o próximo ano !!
Parabéns Chico

domingo, 29 de março de 2015

Ançanenses Q.B. batem Campone por 6-2

Reações jogo: 
Deixem-me começar pelos agradecimentos, porque o melhor deve vir sempre no inicio.

Quero agradecer ao Ricardo e ao Manuel (amigo do André) por nos terem ajudado a ter jogadores suficientes para este jogo.
Quero agradecer ao André e ao Chico por estarem sempre presentes em todos os jogos deste torneio.
Quero agradecer ao João porque mesmo estando em inferioridade física nunca virou a cara à luta e teve mesmo de jogar a segunda parte completa devido à lesão do Manuel.
Quero agradecer ao Puma por respeitar e compreender que joga menos que os outros, sem discutir e sempre com um sorriso na cara... além disso, parabéns pois hoje (29/3) faz 42 primaveras.
Quero agradecer ao Zé Abreu que é Grande e está sempre disposto a organizar os nossos eventos.
Quero agradecer ao Tó-Zé, que apesar de estar lesionado continua a dizer presente no banco de suplentes ajudando a moralizar quem anda a correr lá dentro.

Depois dos agradecimentos... vamos ao que se passou dentro das quatro linhas.

Acabou por ser um jogo sem grande história, tal foi a superioridade da equipa de Ançã. O Ançã começou a controlar o jogo desde inicio, trocando bem a bola entre os seus elementos e não foi com grande surpresa que se adiantou no marcador. Um mau alivio do GR contrário pôs a bola nos pés de Luis que avançou para a área, tirou o GR do caminho e fez o primeiro do jogo.
Este golo, em vez de estimular a equipa para ir à procura do segundo, acabou por adormece-la, dando oportunidade ao Campone de reagir e igualar a partida a um. No entanto, os Ançanenses voltaram à mó de cima, e a meio da primeira parte Chico fez uma incursão pela direita e com um remate potente fez o 2-1, acabando por fazer justiça ao que se ia passando no jogo.
Numa avaliação da primeira parte podemos dizer que foi um jogo de parada e resposta com o Ançã a atirar uma bola ao poste e a falhar duas oportunidades escandalosas por Luis e André e o Campone a atirar uma bola ao poste e a obrigar Ricardo a algumas intervenções mais dificeis.
Para a segunda parte o Ançã entrou mais organizado e rápidamente chegou ao 4-1, com golos de João e André, este marcado com aquela parte que define a maculinidade do homem... digamos que foi um golo do caralh....
A sensação de que o jogo estava controlado e a vitória era certa acabou por tirar competitividade ao jogo. A equipa de Ançã começou a falhar algumas oportunidades claras de golo, tentando adornar jogadas e principalmente falhando passes fáceis que poderiam dar transições rápidas para a baliza adversária.
Num ressalto dentro da área Ançanense o Campone faz o 4-2. Esta jogada acabou por acordar o quinteto Ançanense que aproveitando a melhor condição física e qualidade técnica dos seus jogadores foi para cima do adversário e conseguir marcar mais 2 golos por João e Chico, fixando o resultado final nuns indiscutíveis 6-2.
Após o apito final realizou-se a terceira parte e temos que deixar aqui uma palavra de agradecimento ao Zé Carlos e ás suas excelentes mão para a cozinha. A carne, as batatas fritas, a salada, o arroz doce e o vinho  frizante estavam ótimos. Para repetir, claro!
E assim continuam as andanças da equipa Ançanense por terras de Vila Verde, contabilizando neste momento duas vitórias e uma derrota. No outro jogo os Veteranos bateram o Vila Verde por 12-4.